EXPO MILANO 2015

logo_expomilano

Expo 2015 é a Feira Universal a ser realizada em Milão do dia 1 de maio a 31 de Outubro do próximo ano. O tema será “Nutrir o Planeta, Energia para Vida”. Mais de 140 países participarão, sendo que 55 deles irão construir seu próprio pavilhão, com um investimento total de cerca de um bilhão de Euros. Várias organizações internacionais também confirmaram participação e são esperados vinte milhões de visitantes. O turismo italiano será beneficiado com um aporte de aproximadamente cinco bilhões de Euros; além disso, estima-se que os efeitos – diretos e indiretos no setor de empregos – atinjam, aproximadamente, 60.000 pessoas.

Entretanto, não são apenas os números que tornam tão especial a Expo Milano 2015. Pela primeira vez em sua história secular, ela não será apenas uma mostra do progresso humano, mas a oportunidade de promover discussão e cooperação entre nações, organizações e empresas para desenvolver estratégias conjuntas e melhorar a qualidade de vida e do meio ambiente. Essa edição oferecerá ao grande público uma experiência inesquecível, combinando conhecimento, sabores e entretenimento, com foco nas famílias, crianças, jovens e mulheres. O local estará aberto diariamente, das 10 h às 23 horas, para garantir que os visitantes possam saborear tudo o que será oferecido em termos de cultura e culinária pelos participantes e vários parceiros (incluindo a Eataly), também à noite. Além disso, haverá possibilidade de participação em vários eventos.

Os protagonistas deste evento serão os países estrangeiros apresentando suas experiências e soluções no campo da nutrição. De fato, a Exposição Mundial sempre representou uma oportunidade para expor o melhor dos vários países a um público de milhões de pessoas, do mundo todo. Vários produtos e tecnologias estrearam neste evento: da colheitadeira da feira de Londres em 1851, ao elevador em 1853, às primeiras máquinas de costura da edição parisiense de 1855; do telefone em 1876 na Filadélfia, aos sistemas de iluminação externa com base na lâmpada elétrica de Thomas Edison, às primeiras linhas de montagem para automóveis em 1915, à televisão em 1939, e assim sucessivamente. Hoje, a ênfase mudou dos temas mais voltados a equipamentos para questões que exigem abordagens mais complexas e multidisciplinares. No entanto, permanece o objetivo primordial de apresentar sempre o melhor.

O local escolhido para a Expo Milano 2015 situa-se na área metropolitana da cidade, a noroeste de Milão. Situada, a trinta minutos da Praça do Duomo, fica no centro de todos os sistemas de transporte da cidade: na junção das rodovias do Norte, diretamente ligado ao metro e a uma estação de trem, e a não mais de 20 minutos do aeroporto de Malpensa.

A área de exposição, de mais de um milhão de metros quadrados, estende-se sobre dois eixos ortogonais, chamados Cardo e Decumano. O local é completamente circundado por um canal e grandes coberturas colocadas nos trajetos, fornecendo aos visitantes abrigo da chuva e sol. Os quatro pontos cardeais serão identificados por ícones da Expo Milano 2015: a colina mediterrânea, o teatro ao ar livre, o lago arena, e o centro de exposições, além de outros referenciais que irão guiar os visitantes e abrigar os principais eventos.

O pavilhão italiano será localizado ao longo do Cardo (sobre um eixo de aproximadamente 400m): será dividido em espaços de exposição dedicados a excelência da cozinha regional, culminando com o Edifício Itália, um lugar para reuniões governamentais e institucionais e áreas de shows e entretenimento.

 mapa

O Cardo também abrigará dois outros pavilhões: a produção de vinho italiano, patrocinado pelo Ministério da Agricultura, e a União Europeia, pela primeira vez presente em uma exposição Universal com uma área própria.

O Decumano, por sua vez (com aproximadamente 1,5 km de extensão), estará em frente aos espaços expositivos dos países. Cada pavilhão não mais será um lugar para conter objetos, produtos e mercadorias. Será um local para exposições e eventos relativos ao tema da Expo Milano 2015, projetados de acordo com os princípios estabelecidos no Guia de Temas, fornecido em Outubro de 2012.

Os Grupos são outra grande inovação introduzida pela Expo Milano 2015. São espaços de exposição compartilhados e dedicados a países que não querem ter seu próprio pavilhão, por várias razões. Estas “vilas”, localizadas por toda a área, permitirão que estes países representem a história da comida, cultura e tradição que mais os caracteriza. De fato, alguns grupos serão dedicados à apresentação e degustação de produtos atemporais, como arroz, café, especiarias, frutas e verduras, cereais e tubérculos. Outros, no entanto, irão reunir países em torno de temas que caracterizem regiões específicas como a Bio-Mediterrânea, ilhas e áreas áridas.

A sociedade civil poderá encontrar acomodações em Cascina Triulza, antiga construção rural dentro da área de Exposição, em processo de renovação e que irá trazer debates, discussões e experiências entre o terceiro setor e as organizações não governamentais que, por inúmeros fatores, lidam com o tema “alimento”.

Outro ponto de interesse da visita são as Áreas Temáticas, construídas pela empresa da Expo 2015, que serão um tipo de leitmotiv do evento para simplificar a compreensão das fronteiras dentro das quais, o tema será desenvolvido:

  • O Pavilhão Zero, responsabilidade de Davide Rampello, com arquitetura de Michele De Lucchi, é o espaço introdutório que servirá como trampolim para os temas e linguagens da Expo;
  • O Distrito Alimento do Futuro, a cargo de Carlo Ratti, em colaboração com o MIT de Boston, que apresentará aos visitantes uma perspectiva da cadeia de alimentos no futuro;
  • O Parque das Crianças, aos cuidados de Reggio Children, é uma área para jogos e conhecimento inteiramente dedicado às crianças e suas famílias:
  • O Parque da Biodiversidade, graças à colaboração da Universidade de Milão e o Slow Food de Carlin Petrini, irá reproduzir a diversidade de vida em uma paisagem variada e impressionante, capaz de envolver emocional e intelectualmente os visitantes.

As áreas temáticas, finalmente, incluem a mostra “Arts&Foods”, responsabilidade de Germano Celant, dedicada à relação entre arte e comida, que será montada na Trienal de Milão.

O plano de trabalho está se desenvolvendo de acordo com o cronograma e espera-se sua conclusão para Abril de 2015. (até Agosto de 2014):

  • A primeira fase, chamada de remoção das interferências, estava 91% completa;
  • A segunda fase, trabalhos para a preparação da plataforma, estava 69% completa;
  • A terceira e última fase envolve a construção e montagem dos pavilhões dos países e a implantação das áreas temáticas e compartilhadas, pelo organizador.
  • No momento, mais de trinta países já começaram seus trabalhos no local. Nas próximas semanas, todos os países com pavilhões próprios estarão em operação e os mesmos estarão prontos em Abril 2015.

 logo_expomilano

O desafio da Expo Milano 2015 é também abordar a questão da sustentabilidade ambiental – dos pavilhões e de toda a cadeia alimento, eficiência de energia e água, bem como a luta contra o desperdício. Um dos principais objetivos do evento a serem destacados é, na verdade, a promoção e divulgação da boa conduta, melhor expressa através do respeito pelo ambiente e ecossistemas naturais. Muitas iniciativas deverão garantir a consecução desses objetivos: dos 200,000 metros quadrados de área verde no local da exposição, a infraestruturas de baixo impacto para energia e telecomunicações, aos padrões internacionais adotados para uma administração sustentável do evento. A Exposição Mundial 2015 é a primeira a ter um Relatório de Sustentabilidade publicado: o documento foi apresentado no final de 2013 e será elaborado anualmente para garantir transparência; inclui monitoramento e relatório das atividades desenvolvidas e se constituirá em um legado na história dos grandes eventos.

A Expo Milano 2015 é o maior trabalho coletivo dedicado ao tema da nutrição já criado. Este trabalho envolverá a contribuição de intelectuais, arquitetos e cientistas que trabalharão na realização das várias capacidades. Incluem Ermanno Olmi, diretor do Albero degli Zoccoli, trabalhando em um documentário que narra a importância da água como símbolo da vida e da energia do mundo; Dante Ferretti, designer de produção e vencedor de três prêmios Oscar, que gerencia o projeto Cardo e Decumano; Norman Foster, arquiteto que projetou Pavilhão da UAE (Emirados Árabes Unidos), e vários embaixadores como o chef Davide Oldani; os jogadores de futebol Albertini, Kakà e Hernanes; a apresentadora de TV Antonella Clerici; o arquiteto Massimiliano Fuksas, e muitos outros.

As comunicações do evento têm sido bem intensas e o símbolo do evento é o mascote Foody. Foi criado pelo Estúdio Disney da Itália e é composto por 11 personagens: (Pomina a maçã, Piera a peira, Gury a melancia, Max Mais o milho azul, Arabella a laranja, Chicca a romã, the Rap Brothers rabanetes, Rodolfo o figo, Josephine a banana, Manghy a manga e Guagliò o alho), cada um com um fato curioso a relatar.

Devido à natureza e qualidade dos temas escolhidos, a ambição da Expo Milano 2015 vai além da simples promoção do evento. A intenção é criar as condições para um real envolvimento na Exposição e uma reflexão sobre este tema pelo maior número possível de pessoas, no mundo todo. Assim, além da constante atividade desenvolvida na rede e em redes sociais, uma série de programas de inclusão foi desenvolvida:

  • Laboratório Expo, colaboração com a Fundação Feltrinelli, visa envolver grandes universidades no mundo, para compartilhar pesquisas e ideias, e para desenvolver uma lista de recomendações a serem discutidas durante os seis meses da Expo.
  • Mulheres para a Expo, a maior rede de mulheres dedicadas ao tema da nutrição: é um projeto desenvolvido pela Fundação Mondadori e pelo Ministério de Relações Exteriores.
  • Parcela Infantil (Children Share), em colaboração com o MUBA, objetiva permitir que as crianças do mundo todo participem juntas através de jogos, tradições alimentares e atividades focalizando o conhecimento e responsabilidade, todas estimulando a conscientização em relação à sustentabilidade.
  • Short Food Movie (Filme Pouca Comida), projeto da Fundação Cinema Roma – Centro Experimental de Cinematografia (Rome Cinema Foundation and Experimental Centre of Cinematography), estimulando jovens no mundo todo a filmar, com tablets ou celulares inteligentes, filmes que narrem os temas da Expo Milano 2015.

Além disso, como parte da iniciativa da presidente do Tribunal de Milão, Livia Pomodoro, um projeto está sendo desenvolvido pelo Centro Direito de Alimentação (Nutrition Rights Center) que objetiva promover um acordo internacional sobre o direito à alimentação.

Juntas, estas iniciativas vão formar a herança da Expo Milano 2015, que almeja ser não só uma herança material, mas também uma herança conceitual útil, auxiliando a humanidade a viver conscientemente em um mundo melhor.